Carcinoma Epidermóide

Carcinoma Epidermóide

O Câncer Bucal, pela sua frequência, constitui-se em problema de saúde pública   A Organização Mundial de Saúde (OMS) refere 640.000 casos novos de câncer de boca por ano. As neoplasias malignas da boca constituem 4% de todas, ocupando o 8º lugar entre os homens e o 11º entre as mulheres, sendo que a incidência mundial é 7,9: 100.000 entre os homens e 2,3: 100.000 entre as mulheres .

O câncer bucal está relacionado a fatores de risco conhecidos como etilismo e tabagismo, (INCA, 2009), pois apresentam sinergismo e são promotores e iniciadores da carcinogênese, ao lado de causas coadjuvantes (má higiene, próteses mal adaptadas, imunossupressão, infecções virais pelo papiloma e herpes-vírus I e deficiências nutricionais . Quanto ao prognóstico, as variáveis como idade, histopatologia, estadiamento e região anatômica são determinantes da evolução destes pacientes, em sua maioria do gênero masculino após 5ª década de vida. Por sua vez,   reconhecido o predomínio do carcinoma epidermóide da boca, o perfil epidemiológico deve ser estabelecido para a avaliação da situação atual e o estabelecimento de propostas adequadas visando o estabelecimento de programas de prevenção e de detecção precoce destas neoplasias malignas.

Em casos de diagnóstico positivo, o tratamento traz limitações na alimentação e comunicação, assim como, em muitas vezes, limitações estéticas, podendo o paciente estar emocionalmente alterado e com sua qualidade de vida diminuída, devendo, portanto, o clínico geral ou especialista estar atento a essas situações.

O cirurgião-dentista tem que estar apto para investigar possíveis alterações bucais e relacioná-las com gênero, idade, etnia, hábitos e vícios bem como caracterizações clínicas para que o diagnóstico e tratamento sejam instituídos a tempo.  

Assistam ao vídeo com imagens de câncer bucal no meu canal no YOUTUBE>

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=H5KQDyHkO24&w=560&h=315]